Seminário Integralidade 2017

  • Abertas inscrições do Atelier "Rede de Pesquisa LAPPIS: sistematizando conhecimentos e comunicação pública para a Integralidade do Cuidado"

    Este ano, no interior do XVII SEMINÁRIO DO PROJETO INTEGRALIDADE: SABERES E PRÁTICAS NO COTIDIANO DAS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE, vai acontecer o atelier "Rede de Pesquisa LAPPIS: sistematizando conhecimentos e comunicação pública para a Integralidade do Cuidado". Este espaço tem por objetivo a visibilização das produções acadêmicas em integralidade em saúde, de modo a possibilitar a reflexão sobre a construção do conhecimento no tema e a sua comunicação pública. As inscrições estão abertas até o dia 20 de julho apenas para os integrantes do Lappis.
     
     
    Deste modo, pretende-se reunir as produções acadêmicas ensaísticas e/ou artigos dos pesquisadores (estudantes, docentes e profissionais de saúde) oriundos das diversas instituições que compõem a rede multicêntrica deste laboratório.
     
     
    O espaço ocorrerá no dia 17/10/2017 das 13 às 16 horas em sala ainda a ser confirmada.
     
     
    Serão selecionadas oito produções para serem apresentadas e debatidas. No entanto, todos os trabalhos submetidos e aprovados serão publicados nos anais do seminário, que tem previsão de publicação até o final deste ano.
     
     
    A submissão dos resumos expandidos será realizada por meio do formulário eletrônico:
     
     
    A avaliação dos resumos será feita pelos critérios: 
    - adequação conceitual e metodológica;
    - originalidade;
    - contribuição acadêmica; e
    - organização do texto. 
     
     
    As normas para submissão dos trabalhos completos serão divulgadas juntamente com os resumos aprovados.
      
     
    Pedimos o auxílio de vocês para a divulgação interna dos pesquisadores que compõem o grupo de pesquisa LAPPIS em sua instituição. Este espaço será reservado somente aos pesquisadores que compõem o LAPPIS, por isso não haverá a divulgação pública da submissão de trabalhos nas nossas redes sociais.
    O trabalho submetido deverá ter ao menos um membro do LAPPIS na autoria do trabalho. Discentes deverão obrigatoriamente incluir os orientadores/supervisores na coautoria do trabalho.
     
     
    Caso haja alguma dúvida, solicitamos que faça o contato com o coordenador deste processo César Augusto Paro: (21) 995580968 ou Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..
  • Amor Mundi, Políticas da Amizade e Cuidado na Saúde é tema da 17ª do Seminário Integralidade do Lappis

    Nos dias 17, 18 e 19 de outubro, vai acontecer a 17ª edição do “Seminário do Projeto Integralidade: saberes e práticas no cotidiano das instituições de saúde”, uma promoção do Laboratório de Pesquisa sobre Práticas de Integralidade em Saúde (LAPPIS-IMS-UERJ), do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Subjetividade e Políticas (Grupo de Pesquisa do CNPq – NEPESP), da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFES, do Programa de Pós-Graduação de Psicologia Institucional da UFES e do Grupo de Estudos em Tecnociências em Saúde (BIOMEDSI-IMS-UERJ).

    Com o tema AMOR MUNDI, POLÍTICAS DA AMIZADE E CUIDADO:  A VIDA NA SAÚDE, o Seminário vai ser sediado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), em Vitória (ES). Na programação, os grupos que promovem o evento em 2017, propõem a centralidade dos estudos de saberes e práticas “sujeitos-autores sociais” – usuários, movimentos sociais, trabalhadores e gestores, com o objetivo de oferecer múltiplas experiências acerca do “pensar e agir” da integralidade do cuidado, a partir de distintos contextos sociais, geopolíticos e epistêmicos.

    Trata-se de um desdobramento do percurso virtuoso dos grupos de pesquisa no Projeto Integralidade, que ao longo dos 17 anos de existência, resultou na configuração de uma Rede Multicêntrica de Pesquisa do Grupo de Pesquisa do CNPq/LAPPIS, na qual participam diferentes pesquisadores, docentes e estudantes de graduação e pós-graduação de todo o País. A Universidade Federal do Espirito Santo, por meio do curso de Psicologia e do Programa de Pós-graduação de Psicologia Institucional e do NEPESP ocupam uma posição importantíssima desse percurso desde sua origem, que mais uma vez se expressa na vontade institucional de acolher o Seminário Integralidade em 2017.

    Neste ano, o Seminário apresenta um conjunto de atividades de duas naturezas: especificas e gerais. As específicas funcionarão simultaneamente, em diferentes espaços no campus universitário, com ampla participação do público, voltadas para as ações de ensino e de extensão. E as Atividades geraisserão concentradas, sequencialmente, em um único espaço de realização dos debates temáticos.

    Além de 5 sessões do “Atelier do Cuidado”, grupos de pessoas que trabalharão juntas na confecção criativa de respostas capazes repensar o tema central do seminário, a partir do cotidiano na vida pública na interação entre serviços de saúde e universidade; as atividades específicas contarão com 16 Minicursos, com a emissão de certificados na modalidade “cursos de curta duração”. Ainda dentro da programação, está prevista a Reunião da Biblioteca Virtual em Saúde Integralidade ICICT/FIOCRUZ-PAHO-BIREME-OPAS, que reunirá os gestores da informação cientifica – bibliotecários, com vistas a atualizar seus conhecimentos sobre inclusão de fontes da literatura científica.

    A Conferencia de Abertura, a ser proferida pelo presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva, Gastão Wagner de Souza Campos, abre a programação das atividades gerais do Seminário. Para sistematização do debate, foram organizadas quatro mesas redondas que focalizarão questões específicas transversais concernentes à “vida na saúde”, de modo a fomentar as reflexões entre convidados e participantes.

    A primeira questão versará sobre as possibilidades epistemológicas de se consubstanciar a ideia de “resistência”, como uma categoria analítica fundamental de estudos no campo da Saúde Coletiva e áreas afins, ressaltando a responsabilidade pública das instituições de ensino, de saúde e da justiça como pilar estruturante para se configurar um novo patamar ético-político-formativo na relação entre a sociedade e o Estado. A segunda questão circunscreve seu objeto na pluralidade de aspectos das demandas por “cuidado na saúde”, destacando os temas da violência, do racismo e as minorias como desafios às práticas de cuidado e processos formativos para sua constituição.

    Já a terceira questão buscará refletir e problematizar a natureza do trabalho na saúde, cujas demandas por cuidado apontam para fragilidades, resistências e superação expressas no cotidiano das lutas por direitos no atual cenário econômico, político e cultural do país, cujas respostas para seu enfretamento implicam em analisar os efeitos e repercussões das políticas públicas e sociais nos trabalhadores, sejam sobre sua própria vida, sejam desta relação com o Outro, “usuário” dos serviços.

    A quarta questão visa compreender as fronteiras do cuidado, como espaços moleculares da coexistência entre os saberes tradicionais, científicos e leigos, por onde, as políticas de saúde se transformem em cuidado como expressão de amor à coletividade.

    Período de inscrição e Informações detalhadas da programação serão divulgados em breve.

  • Apresentação

    O XVII Seminário do Projeto Integralidade: saberes e praticas no cotidiano das instituições de saúde, traz como tema central: AMOR MUNDI, POLÍTICAS DA AMIZADE E CUIDADO: A VIDA NA SAÚDE, como atividade regular e anual de debater e reafirmar o direito à saúde como direito humano, sendo o principio da integralidade o vetor teórico e pratico de garanti-lo como direito social de relevância publica. Desde sua origem em 2000, os seminários do projeto integralidade integram os calendários de eventos do campo da saúde coletiva, assumindo o imperativo categórico de democratização do conhecimento tecnológico e cientifico, orientado pela interdisciplinariedade de sua pratica teórica e pela natureza multiprofissional de sua produção.

    Como “projetomovimento”, este seminário que acolhe diferentes empreendimentos acadêmicos-técnicos-científicos, visa (re)pensar e renovar as noções fundantes que atualizem a compreensão do princípio da integralidade a partir da análise, divulgação e apoio a experiências inovadoras de ensino pesquisa e extensão. Esse trabalho de construção coletiva tem como ponto de partida o conhecimento que é construído na prática dos sujeitos nas instituições de saúde, educação e justiça e na sua relação com a sociedade civil. Integralidade é entendida aqui como um amplo conceito, uma ação social que resulta da interação democrática entre os sujeitos no cotidiano de suas práticas na prestação do cuidado da saúde, em diferentes níveis do sistema.

    Nesse sentido os seminários dos projetos, acompanhados de lançamento de coletâneas sobre o tema, buscam dar visibilidade a estudos e seus resultados acerca das experiências concretas vividas no cotidiano das atividades de ensino, pesquisa e serviço. São espaços de encontro e articulação de conhecimentos desenvolvidos por diferentes pesquisadores, no sentido de pensar e agir na construção de conhecimentos capazes  de consubstanciar, cada vez mais, os princípios universais do Sistema Único de Saúde (SUS).

     

    Apoio

  • Inscrições

    As inscrições no XVII Seminário do Projeto Integralidade: saberes e práticas no cotidiano das instituições de saúde estarão abertas de 06 de julho a 01 de outubro.

    Não é cobrada nenhuma taxa de inscrição.

    No ato de inscrição, o seminarista deverá escolher apenas um minicurso entre os 15 disponíveis nesta edição do evento.

     

    Será emitido certificado de participação mediante comprovação em lista de presença.

    Faça sua inscrição preenchendo o formulário ABAIXO.

     

    Formulário de Inscrição

    Apoio

  • Inscrições abertas para o Seminário Integralidade 2017

    Seguem abertas até o dia 1º de outubro, as inscrições online do XVII Seminário do Projeto Integralidade: saberes e praticas no cotidiano das instituições de saúde, que traz como tema central em 2017 "AMOR MUNDI, POLÍTICAS DA AMIZADE E CUIDADO: A VIDA NA SAÚDE"Como “projetomovimento”, este seminário que acolhe diferentes empreendimentos acadêmicos-técnicos-científicos, visa (re)pensar e renovar as noções fundantes que atualizem a compreensão do princípio da integralidade a partir da análise, divulgação e apoio a experiências inovadoras de ensino pesquisa e extensão. Esse trabalho de construção coletiva tem como ponto de partida o conhecimento que é construído na prática dos sujeitos nas instituições de saúde, educação e justiça e na sua relação com a sociedade civil. Integralidade é entendida aqui como um amplo conceito, uma ação social que resulta da interação democrática entre os sujeitos no cotidiano de suas práticas na prestação do cuidado da saúde, em diferentes níveis do sistema.

    Nesta edição do evento, a Universidade Federal do Espírito Santo UFES é quem vai acolher o Seminário Integralidade, no Campus de Goiabeiras, em Vitória, Espírito Santo.

    Não é cobrada nenhuma taxa de inscrição. No ato de inscrição, o seminarista deverá escolher apenas um minicurso entre os 15 disponíveis nesta edição do evento. Será emitido certificado de participação mediante comprovação em lista de presença.

    Inscreva-se AQUI

  • Local

    Universidade Federal do Espírito Santo UFES – Campus de Goiabeiras, Vitória/ES

    Período:  17, 18, 19 de outubro de 2017

    Horário: 9h -18h

    As mesas redondas serão realizadas no auditório do CCE (Centro de Ciências Exatas) que está localizado antes da cantina do Onofre, próximo ao IC1. O estacionamento do auditório do CCE fica em frente ao prédio da rádio universitária, antigo prédio da Fundação Ceciliano Abel de Almeida. Perto da sede da ADUFES.

     

    Apoio

  • Minicursos expandem conhecimento dos futuros profissionais de saúde

    "O nosso maior objetivo é  desenvolver, a cada dia, mais análises e compreensões, para que  juntos possamos enfrentar as dificuldades, superar os obstáculos e desafios que estão pela frente", disse a líder do grupo de pesquisa LAPPIS Roseni Pinheiro, em entrevista durante o pré-evento da 17ª edição do Seminário do Projeto Integralidade: Saberes e Práticas no Cotidiano das Instituições de Saúde, promovido pelo Lappis/IMS/UERJ e PPGPSI-UFES com apoio da Capes, que acontece na UFES, Vitória, até dia 19 de outubro.

    Cinco regiões do país, 17 Estados e o total de 740 inscritos. Superando expectativas, o seminário que completa 17 anos com o tema "AMOR MUNDI, POLÍTICAS DA AMIZADE E CUIDADO: A VIDA NA SAÚDE, ofereceu 17 minicursos de diversas áreas da saúde, com foco no “cuidado”. Para Roseni, um dos objetivos dos minicursos é expandir o conhecimento dos futuros profissionais e dar a eles estruturas para os próximos passos. "Nesses encontros oferecemos uma compreensão de ciência na saúde e da saúde para outras áreas afins. O aluno e o profissional sempre serão o nosso foco. É necessário ‘alargar’ a mentatalidade sobre a compreensão desses processos e com a responsabilidade pública que cada um de nós temos para enfrentar, superar e alcançar os objetivos de uma afirmação de vida e direito para todos", ressaltou.

    Para a enfermeira obstetra Carla Guanabens, do Hospital Sofia Feldman (MG), uma das professoras da atividade "Saúde da mulher e o parto humanizado", os minicursos são importantes para a conscientização dos alunos sobre a relação "médico-paciente". Ela afirma que os temas abordados nesses cursos rápidos, de um modo geral, não são falados com frequência, mas deveriam ser. "Os participantes são ou serão os futuros profissionais que estarão na linha de frente, e se não se sabe ou não se fala como se vai desenvolver estratégias de mudança para combater? Por isso que essas oficinas são tão importantes, que além de desenvolverem um olhar político, também aprendem a se colocarem no lugar do outro", explica Carla.

    O professor Getúlio Pinto, psicólogo na equipe do Programa de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual (PAVIVIS), trouxe o tema "Saúde e Violência contra a  mulher". O pesquisador apresentou relatos de pacientes e ao final pediu para que cada uma das participantes lessem e falassem dos obstáculos que o sexo feminino tendem a enfrentar. Segundo Getúlio, mesmo que a sociedade seja patriarcal, assimétrica e machista, quando encontra um espaço, a saúde sai dessa visão totalmente protocolar para poder trazer uma visão de fortalecimento dos sujeitos, como sujeito e não como objeto, por exemplo da prática em saúde, já estamos revolucionando.

    "Comunicação em saúde" foi o tema do minicurso da professora Juliana Lofego, da UFAC, com conceitos de como acontece a comunicação no âmbito da saúde e perspectivas do dia-a-dia. A jornalista e pesquisadora explicou que mais do que se comunicar, é preciso saber se o ouvinte está entendendo, e deu um exemplo: "um médico pode passar uma prescrição para o paciente, mas tudo vai depender da interação entre eles, o médico precisa construir uma relação de confiança com o paciente. A comunicação está além dos instrumentos Embora as tecnologias sejam muito importantes, a comunicação está no vínculo que há entre essas pessoas", disse.

    Entre outros cursos oferecidos no dia 17 de outubro, estavam “Racismo e Saúde da População Negra (por Altair Lira – Associação Bahiana de Anemia Falciforme); Gestão do Trabalho em Saúde (NUPGASP – Saúde Coletiva/UFES); Saúde Mental e Saúde da Criança (Ariana Lucero– PPGPSI); Saúde Indígena e saberes tradicionais (Vilma Benedito - Tupinikim); Saúde e Processo de trabalho (Rafael Gomes, PPGPSI e Depto Psicologia UFES); Saúde do Idoso (Centro de Referência de Atenção ao Idoso de Vitória/ES); Reivindicação de Direitos (Felipe Dutra Asensi – LAPPIS/IMS/UERJ); Teatro do Oprimido (Cesar Paro – LAPPIS/IMS/UERJ); Itinerários Terapêuticos – (Tatiana Gerardt – PPGCOL –UFRGS); e Internet e Saúde: perspectivas metodológicas para estudos e pesquisas (Elaine Rabello, professora IMS/UERJ e ADRIANA ILHA, professora LABIC/UFES).

    Texto de Jackeline Oliveira com supervisão jornalística de Flaviano Quaresma.

  • Programação

    DIA 17/10/2017 – MANHÃ – ATIVIDADE PRÉ-SEMINÁRIO (MINICURSOS)

     

    8:00-12:00h – Minicursos (simultâneos)

    - Saúde da mulher e parto humanizado (Hospital Sofia Feldman)

    - Racismo e Saúde da População Negra (Altair Lira – Associação Bahiana de Anemia Falciforme)

    - Gestão do Trabalho em Saúde (NUPGASP – Saúde Coletiva/UFES)

    - Saúde Mental e Saúde da Criança (Ariana Lucero– PPGPSI)

    - Saúde e Minorias sexuais (Carolina Roseiro – PPGPSI UFES)

    - Saúde e Violência contra a mulher (Getúlio Pinto - PPGPSI UFES)

    - Saúde Indígena e saberes tradicionais (Vilma Benedito - Tupinikim)

    - Saúde e Processo de trabalho (Rafael Gomes, PPGPSI e Depto Psicologia UFES)

    - Saúde do Idoso (Centro de Referência de Atenção ao Idoso de Vitória/ES)

    - Comunicação em Saúde (Juliana Lofego – LAPPIS/FCom/UFAC)

    - Engajamento Público - (Marcelo Luciano Vieira – LAPPIS IMS/UERJ)

    - Reivindicação de Direitos (Felipe Dutra Asensi – LAPPIS/IMS/UERJ)

    - Teatro do Oprimido (Cesar Paro – LAPPIS/IMS/UERJ)

    - Itinerários Terapêuticos – (Tatiana Gerardt – PPGCOL –UFRGS) Aluísio Gomes da Silva Jr (ISC-UFF).

    - Internet e Saúde: perspectivas metodológicas para estudos e pesquisas (Elaine Rabello, professora IMS/UERJ e ADRIANA ILHA, professora LABIC/UFES)

     

    DIA 17/10/2017 – TARDE – ATIVIDADE PRÉ-SEMINÁRIO (ATÊLIERS) E ABERTURA OFICIAL

     

    13:30-14:00h – Reunião

    - Rede de Pesquisa LAPPIS: sistematizando conhecimentos e comunicação pública para a integralidade do cuidado

     

    16:00-17:00h –  Mesa de abertura: Ethel Maciel - Vice-Reitora da UFES, Neyval Costa Reis Jr - Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UFES, Fabio Hebert - Coordenador do Programa de Psicologia Institucional/UFES e Roseni Pinheiro - Líder do Grupo de Pesquisa do CNPq LAPPIS/IMS/UERJ

     

    17:30-19:00 – Conferência de Abertura

    Prof. Gastão Wagner Campos – Presidente da ABRASCO e prof. Titular/Unicamp

     

    DIA 18/10/2017– MANHÃ – ATIVIDADE XVII SEMINÁRIO

     

    08:00-09:20h – Mesa 1 – Amor Mundi, Políticas da Amizade e Cuidado: sobre a epistemologia da resistência

    Ementa:Discutir sobre as potencialidades epistemológicas da “Amizade” como a capacidade humana de se associar aos outros, forjando novas formas de sociabilidades, entendidas como um nova política da imaginação, como exercício político de intermediação do mundo (espaço “entre” pessoas) e do Cuidado com e no Mundo (Amor Mundi)

    Coordenação: Roseni Pinheiro (LAPPIS/IMS/UERJ)

    Expositores:

    Paulo Henrique Martins (Faculdade de Sociologia – UFPE)

    Betânia Assy (Direito - PUC-Rio e UERJ)

    Heliana Conde (Faculdade de Psicologia – UERJ) 

     

    09:20-10:00h – Debate

     

    12:00-13:30h – Almoço

     

    DIA 18/10/2017 – TARDE – ATIVIDADE XVII SEMINÁRIO

     

    14:00-16:00h – Mesa 2 – Formação, violência e racismo nas práticas de cuidado

    Ementa: Abordará a questão da violência, do racismo e as demandas das minorias étnico-raciais como desafios para as práticas de cuidado e para os processos formativos. Debaterá como as políticas de saúde em curso estão incluindo as demandas destas minorias e os impactos do racismo institucional na produção de saúde e de doença. Os processos de comunicação em saúde e seus efeitos na violência institucional e nos índices de vulnerabilidade social.

    Coordenação: Ana Lucia Coelho Heckert (Programa de Pós-Graduação em Psicologia Institucional/UFES)

    Expositores:

    Tatiana Engel Gerhardt (Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva/UFRGS)

    Altair Lira (Associação Baiana das Pessoas com Doenças Falciformes)

    Lula Rocha (Fórum Estadual da Juventude Negra do ES)

    Juliana Lofego (Faculdade de Comunicação da UFAC)

     

    17:00h – Reunião dos integrantes da “Rede Multicêntrica de Pesquisa da Incubadora da Integralidade – LAPPIS”

     

    DIA 19/10/2017– MANHÃ – ATIVIDADE XVII SEMINÁRIO

     

    09:00-11:30h – Mesa 4 –Trabalho, resistência e precarização

    Ementa: Abordar a questão dos processos de trabalho em saúde frente à precarização das condições de trabalho, destacando os processos de resistência em curso nas redes de produção de saúde. Tratar da temática da gestão do trabalho em saúde e desafios no confronto com os modos gerencialistas de trabalho.  Debater as dimensões de renormatividade no trabalho em saúde e autonomia nos serviços de saúde.  

    Coordenador: Aluísio Gomes da Silva Jr. (Instituto de Saúde Coletiva/UFF)

    Expositores:                     

    Dário Pasche (Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva/UFRGS)

    Tatiana Coelho Lopes (LAPPIS/Incubadora da Integralidade Hospital Sofia Feldman)

    Felipe Dutra Asensi (LAPPIS/IMS/UERJ)

    Rafael Gomes (Programa de Pós-Graduação em Psicologia Institucional/UFES)

     

    11:30-12:00h – Debate

     

    12:00h-13:30 – Almoço

     

     

    DIA 19/10/2017– TARDE – ATIVIDADE XVII SEMINÁRIO

     

    14:00-16:30 – Mesa 5 – Fronteiras do Cuidado, saberes tradicionais e políticas de saúde

    Ementa: Abordar a questão das políticas de saúde e saberes tradicionais em comunidades indígenas e quilombolas, destacando as práticas de cuidado que são tecidas no cotidiano dessas comunidades.

    Coordenação: Fabio Hebert (Programa de Pós-Graduação em Psicologia Institucional/UFES)

    Expositores:

    Leif Grunewald (Programa de Pós-Graduação em Antropologia/UFGD)

    Rodrigo Silveira (Faculdade de Medicina da UFAC)

    Marcelo Guarani (Aldeia Três Palmeiras)

    Representante dos Quilombolas do ES

     

    16:00-16:30h – Debate

     

    17h00 - Encerramento e Avaliação do Seminário (preencher breve ficha disponível nas pastas)

     

    _______________________________

     

    Não será cobrada taxa de inscrição. Será emitido certificado de participação mediante comprovação em lista de presença.  >>> INSCREVA-SE AQUI

     

    Apoio

  • Roseni Pinheiro fala sobre as atividades do Lappis Integralidade em Saúde em 2017

  • Seminário Integralidade 2017 oferece 15 minicursos gratuitos

    Na 17ª edição do Seminário do Projeto Integralidade: saberes e práticas no cotidiano das instituições de saúde, que traz como tema central "AMOR MUNDI, POLÍTICAS DA AMIZADE E CUIDADO: A VIDA NA SAÚDE", nos dias 17, 18 e 19 de outubro, na UFES, em Vitória (ES), serão oferecidos Minicursos nas atividades pré-evento, completamente gratuito. Para participar, basta marcar qual deles você tem interesse em participar no evento, no ato de inscrição.

    Programe qual você vai querer fazer e fique ligado nas inscrições que estão abertas até dia 1º de outubro.

    1 - Saúde da mulher e parto humanizado (Hospital Sofia Feldman)

    2 - Racismo e Saúde da População Negra (Altair Lira – Associação Bahiana de Anemia Falciforme)

    3 - Gestão do Trabalho em Saúde (NUPGASP – Saúde Coletiva/UFES)

    4 - Saúde Mental e Saúde da Criança (Ariana Lucero – PPGPSI/UFES)

    5 - Saúde e Minorias sexuais (Carolina Roseiro – PPGPSI UFES)

    6 - Saúde e Violência contra a mulher (Getúlio Pinto - PPGPSI UFES)

    7 - Saúde Indígena e saberes tradicionais (Vilma Benedito - Tupinikim)

    8 - Saúde e Processo de trabalho (Rafael Gomes, PPGPSI e Depto Psicologia UFES)

    9 - Saúde do Idoso (Equipe do Crai/Secretaria Municipal de Saúde/ Vitória)

    10 - Comunicação em Saúde (Juliana Lofego – LAPPIS/FCom/UFAC)

    11 - Engajamento Público - (Marcelo Luciano Vieira – LAPPIS IMS/UERJ)

    12 - Reivindicação de Direitos (Felipe Dutra Asensi – LAPPIS/IMS/UERJ)

    13 - Teatro do Oprimido (Cesar Augusto Paro – LAPPIS/IMS/UERJ-IESC/UFRJ

    14 - Itinerários Terapêuticos – (Tatiana Gerardt – PPGCOL –UFRGS) Aluísio Gomes da Silva Jr (ISC-UFF).

    15 - "Internet e Saúde: perspectivas metodológicas para estudos e pesquisas" (Elaine Rabello, professora IMS/UERJ e Adriana Ilha, professora LABIC/UFES)

    Inscreva-se no link http://www.lappis.org.br/site/inscricoes-seminarioxvii