Notícias

O Laboratório de pesquisas sobre práticas de integralidade em saúde - LAPPIS, vem a público afirmar seu apoio à Frente em Defesa do SUS-MG que é contra a medida adotada pelo prefeito Kalil, de afastar de suas funções as companheiras Sônia Lansky - Comissão Perinatal e do Comitê de Prevenção do Óbito Materno, Fetal e Infantil e Márcia Parizzi - Coordenadora de Saúde da Criança e do Adolescente da Secretaria Municipal de Belo Horizonte. Segundo a Frente em Defesa do SUS-MG, o motivo para tal atitude é o posicionamento destas servidoras públicas na defesa das mães que tem perdido a guarda de seus bebês, por se encontrarem em situação de vulnerabilidade, através de várias ações do Ministério Público da Infância. Esta postura é altamente discriminatória e excludente, penalizando mulheres pobres e negras, privando-as de guarda e da convivência com seus filhos, sem nenhuma participação delas nesta decisão.

Sônia e Márcia se dedicam há quase 30 anos como trabalhadoras e como militantes em defesa da vida das crianças e das mulheres de Belo Horizonte e do Estado de Minas Gerais, uma vez que o

SUS-BH é referência para a Região Metropolitana e todo o Estado. Representam a luta de vários outros trabalhadores militantes que contribuem para o fortalecimento do SUS em Belo Horizonte e no Brasil. Essas servidoras públicas, no sentido mais nobre do termo, defendem o interesse público, desenvolvem um trabalho pautado pelos princípios de defesa dos direitos humanos, e do direito de escolha das mulheres, do parto normal, do aleitamento materno e desenvolvimento infantil, do direito à vida.

Confira a Nota Oficial da Frente em Defesa do SUS-MG.

Manifesto e Solicitação Coletiva de Reunião com o Prefeito Alexandre Kalil

Compartilhar